25 de março de 2009

O ridículo das situações

Todos sabemos que o penalty de sábado não existiu. Como não saberiamos? Desde esse dia que não se fala, mesmo, de outra coisa. O árbitro, Lucílio Baptista, já pediu desculpa pelo erro, mas o Sporting não se contenta, e está a fazer um escarcel desmesurado, que já começa a chatear. Os telejornais também não deviam dar a importância que estão a dar a esta notícia, porque, sinceramente, há coisas mais importantes a passar-se no país e no planeta.

Meus senhores... Move on!

Para acrescentar mais fantuchada a toda esta palhaçada, eis que surge a notícia do padre, sportinguista ferrenho, que se recusa a baptizar qualquer criança chamada Lucílio. Como dizem os brasileiros: "Como é que é?" Está bem que a Igreja Católica já reconheceu que não existe o limbo, mas isso não dá o direito a um padre de interferir na escolha do nome da criança, local e padre que irá baptizar a criança.

Também é verdade que não estou a ver muitos pais, principalmente em Lisboa, a quererem dar o nome de Lucílio a um filho. Mas mesmo que queiram, um padre, que supostamente representa a bondade e tolerância, não deve impôr estas regras. Se um padre é representante de Deus, algo me diz que este padre está a fugir à regra, e que Deus não deve estar muito contente com ele...

4 comentários:

gui.tattoo disse...

okisto chegou... Toda a gente sabe que Lucílio não é nome que se dê a um filho.
Aposto que até os pais dele estão neste momento arrependidos de o ter feito... mas tal com a sua decisão em relação ao tal penalty (qual penalty?), já é tarde para voltar a trás na decisão.
E não há desculpas que mudem o resultado.

Penalty... sinceramente !!!

Cindy disse...

Sem comentários...

Beijokas!

Irina Gomes Duarte Silva disse...

É por causa destas e de outras que cada vez mais não suporto futebol!

disse...

Com o devido respeito pela lagartagem:

BENFIIIICAAAA!!!

E saem 3 Carlsbergs para a mesa do canto... para serem bebidas de penalty, claro;)

beijocas,
alfa1