30 de março de 2009

Gostei das notícias de ontem

Ontem senti-me bem com as notícias que vi no fim do Telejornal. Achei que a crise estava a trazer o melhor que há em cada pessoa ao de cima, e esse é o lado positivo da mesma.

As últimas 3 notícias mostravam como as pessoas se ajudam nestes tempos difíceis. Lojas com roupa em segunda-mão, que vão de 5 cêntimos (creio) a 15 euros, no máximo, e onde existe mesmo uma área de oferta de roupa, para quem não tem possibilidade de comprar. Algumas fábricas oferecem mesmo a roupa, por isso não pensem que é só coisas gastas que por ali andam.

Vi também o caso de assistência aos mais velhos em aldeias, através de um transporte, que os leva à vila mais próxima, julgo que uma vez por semana. Um táxi até lá custa 15 euros, o que é muito dinheiro para pensões tão baixas que a maioria destes idosos, que vivem sozinhos, recebem. Assim, estas mini-vans levam-nos, julgo que de forma gratuita, ou perto disso, para passearem e carregarem o telemóvel!

A terceira e última notícia era sobre a oferta de aparelhos auditivos aos idosos, num município.

Com resultados de boa vontade destes, quase que desejamos que a crise continue. Quase...

4 comentários:

gui.tattoo disse...

Em tempos achava que não, mas agora não tenho receio de o dizer:
Ninguém sabe o dia de amanhã, e acho que cada vez estamos mais perto da decadência... Isto assusta-me.
São boas iniciativas... Bem hajam os que têm vontade de ajudar e podem faze-lo porque do governo, está visto....

Cindy disse...

Excelentes notícias!
Beijokas!

disse...

Notícias que mostram uma barcaça chamada Portugal a ir para o fundo. Tanta boa vontade da tua parte.
beijocas,
alfa1

Tiago disse...

Zé e Gui.tattoo
Tenho que discordar de voçês. O estado não tem que estar em todo o lado e sustentar toda a gente. Tem sim que ter cada vez mais um papel de regulador e gestor da sociedade. Iniciativas com estas não são só de agora. Se calahr neste momento ganham maior relevância. Se cada um (incluindo eu, que não faço) fizesse um bocado de acção social talvez as coisas fossem melhores. Para isso bastava que não tivessemos um povinho que não sendo deficiente estaciona no lugar de deficientes, que passa à frente nas filas de trânsito, que tenta enganar o estado, logo todos nós, sempre que pode. Li no outro dia, não me lembro onde: se fossemos todos tão patrióticos a pagar impostos e cumprir obrigações como somos a por bandeiras de Portugal nas janelas em alturas dos jogos da selecção e estariamos bem melhor...Se ainda fossem bandeiras do BENFICA...