15 de abril de 2009

A história da inglesinha

Era uma vez uma menina, nada bonita por sinal, e não tinha nada de princesa. Essa menina entrou num reality show no seu país natal, Reino Unido, e mostrou para todo o país o quão ordinária e xenófoba, roçando o nazi, na realidade era, ao fazer comentários, que viriam a ser condenados, contra uma actriz indianade Bollywood que também participava.

Essa foi a sua primeira estreia nos jornais britânicos, e o caso foi badalado em vários países. Mais tarde, estando ainda no Big Brother, essa menina viria a descobrir que tinha um cancro terminal. Assim, a menina mázona tornou-se numa menina adorada por quase todos os que a haviam criticado antes.

Assim, a menina continuou a ser notícia, chegando a vender a sua vida e morte à televisão por um valor exorbitante, para que os 2 filhos que já tinha ficassem com o futuro garantido. Cada presença sua num evento era pago a peso de ouro, mas parte deste dinheiro foi também entregue a instituições de solidariedade.

Claro que nenhuma história estaria completa se não houvesse um menino. Este menino, tão bom como a menina, aproveitou ao máximo esta história, e pediu-a em casamento, que acabou por se realizar também em directo para a televisão.

A doença foi avançando, o que não deixa de ser triste, e a menina acabou por morrer. O seu funeral parecia o de um herói da guerra, com milhares de pessoas na rua a acenarem, tal como no seu casamento.

É de louvar que tenha conseguido sensibilizar as mulheres para um tipo de cancro que mata tantas, e tão cedo. É de louvar que a menina tenha ajudado a família e instituiões de solidariedade. Mas será que porque teve cancro, é agora uma santa? Será que realmente deixou de ser o estupor que era? Talvez. Mas continuo a achar que foi tudo um exagero.

Mas a história não termina aqui. O seu marido, viuvo, agora famosa, mostra actualmente que educação foi coisa que não teve. Já foi preso por agredir um taxista. Algo me diz qu enão será a última vez a aparecer num jornal. Mas a questão coloca-se: Será que o taxista também era indiano?

4 comentários:

Cindy disse...

Verdadinha...

Pensava que estavas de férias!! lol
E que tal essa Páscoa?!

Beijokas

gui.tattoo disse...

Mas que história !!!
Agora as perguntas surgem:
Quem vai gozar do dinheiro ?
Quem não gostaria de enriquecer assim?
E as crianças vão ser felizes sem a mãe ?
E quantas outras ficarão por esclarecer...
Vai dar ainda muito que falar...
mediático sem dúvida, dramático com toda a certeza...

aUgUrIuM disse...

Nesta história da Inglesinha tenho pena é dos filhos. Será que quando eles forem maiores e tiverem poder para 'mexer' no suposto dinheiro que a mãe garantiu para o futuro deles, o dinheiro vai lá estar à espera deles???!!!
hhhuuummmm, algo me faz duvidar disso...
bjs
;o)

Deusa disse...

Pois, eu conheço bastante bem esta história e concordo contigo. E acho de facto rídiculo alcançar fama desta forma. Mas isto só mostra a ignorância do povo e que está mal com os média hoje em dia. Quando pessoas assim chegam ser "celebridades". Tristeza. E o dito marido nr. 2 (o pai dos filhotes é o marido nr.1) tinha já vários casos de violência e o último estava no tribunal e só por causa do muito falado casamento em directo com a dita ingles que deixaram-no em liberdade condicional. Mais uma coisa duvidosa, digo eu. E depois ainda havia pessoas que compararam-na com a Princesa de Gales. Alguma vez...?!?