16 de fevereiro de 2011

Bully Ramsay


Há um programa na Sic Radical que se chama Hell's Kitchen - A Cozinha é um Inferno (que linda tradução). Este programa, que tem a direcção do chef Gordon Ramsay, e começa por ter 2 equipas, uma de mulheres (vermelha) e outra de homens (azul), cujos concorrentes são chef, ou cozinheiros em outros restaurantes.

No decorrer dos episódios, as equipas têm desafios a superar, que são, habitualmente, confeccionar refeições, mas nada lhes é ensinado. É muito raro isso acontecer. Essas refeições são servidas a clientes do Hell's Kitchen, e o tempo máximo de espera é de 2 horas.

Durante a confecção, já de si stressante, dos pratos, o chef Ramsay é um verdadeiro bully. Grita com os concorrentes, aos ouvidos ou não, humilha-os, chama-lhes nomes, e faz aquele número de atirar com comida contra a parede. Um verdadeiro bully.

A verdade é que este programa já tem várias temporadas e, o chef já tem mais programas onde a violência psicológica continua: The F Word, Ramsay's Kitchen Nightmares.

A mim incomoda-me a atitude que Ramsay tem para com os concorrentes. É como na escola, mas aqui as vítimas querem ser agonizadas. Porquê? Porque assim têm oportunidade de trabalhar com um dos melhores chefs do mundo. Mas a verdade é que não estão a aprender como superar os erros! Ser um dos melhores, não lhe dá o direito de tratar as pessoas mal. Em nenhuma área!!!

O prémio final? Trabalhar para o chef de um dos restaurantes de Ramsay nos Estados Unidos ou Reino Unido, conforme o caso. Nem sequer é trabalhar directamente com ele! E depois de ver o que muitos deles lá fazem, sinceramente não sei se queria ir lá comer...

Existem programas como Master Chef Australia, transmitido na Sic Mulher, onde existem concorrentes que têm outras profissões na vida, mas também são avaliados, sem serem insultados ou humilhados, e ainda aprendem com grandes chefs. Curiosamente, Master Chef é um programa também de Ramsay, mas ao que sei, não é apresentado por ele.

Se Ramsay podia fazer o programa sem ser um bully? Podia. Mas não era a mesma coisa. Não tinha o sucesso que tinha. Não tinha mais 2 programas onde se faz vénias ao seu mau feitio. Ao que parece, não falta quem goste de ver os outros serem enxovalhados.

Só espero que programas como este não passam a mensagem errada aos mais novos...

3 comentários:

Catela disse...

Sigo o blog atentamente (o google reader nem me permite outra coisa) mas raramente comento. Não posso é deixar de notar a contradição entre as críticas a este mau feitio e os louvores a um bem pior (José Mourinho)

Feather disse...

Antes de mais, devo dizer que o Google Reader tem extremo bom gosto :)

Sei que não gostas do Mourinho, mas ele nunca foi um bully. Os jogadores dele só têm coisas boas a dizer, e todos são unânimes (jogadores, família e amigos) ao afirmarem que a imagem que ele transmite para fora nada tem a ver com o que ele é na realidade, e sem ser à frente dos jornalistas. Por isso, acho que não estás a ser justo

Beijinhos

Catela disse...

Democraticamente, o teu comentário está um bocado errado. O mourinho deve ter tido contacto directo (enquanto treinador, familiar ou amigo) com menos de mil pessoas e influenciou negativamente os hábitos de vários milhões que acham que aquela lógica de "os fins justificam os meios" está correcta.